Rua Coutinho e Melo, 18 (11)3808-9993(11) 96362-5253

REDUZA A PARCELA DO SEU VEÍCULO EM ATÉ 40%! QUITE SEU VEÍCULO COM ATÉ 70% DE DESCONTE! FALE CONOSCO AGORA!

Blog

Home » Blog » Página 2

Senado proíbe liminares de despejo até 30 de outubro – Brasil – iG

ocupação arrow-options Alice Vergueiro/Futura Press / Arquivo Ocupação Copa do Povo na Rua Malmequer do Carmo, em Itaquera, na zona leste de São Paulo

O Senado aprovou, nesta sexta-feira (3), projeto de lei que proíbe liminares de despejo até 30 de outubro, em função da pandemia do coronavírus. O texto trata ainda de outros pontos de relações de direito privado e reúne sugestões do presidente do Supremo, Dias Toffoli, de regras que devem valer apenas para o período da crise. A proposta segue para a análise da Câmara dos Deputados.

Leia também: Liminar suspende lei que proíbe copos e talheres de plástico em São Paulo

A regra vale para ações ajuizadas a partir de 20 de março de 2020, data de publicação no Diário Oficial da União (DOU) do decreto que reconhece estado de calamidade pública no país. O projeto original, assinado pelo senador Antonio Anastasia (PSD-BA), previa o impedimento de liminar de desocupação de imóvel urbano em ações de despejo até 31 de dezembro. A relatora, Simone Tebet (MDB-MS), mudou o prazo para 30 de outubro e ressalvou que, em casos de término de aluguel por temporada, morte de locatário sem sucessor ou necessidade de reparos estruturais urgentes no imóvel, pode haver liminar.

“Esse dispositivo não proíbe o despejo ao final do processo. Ele veda apenas o despejo no início do processo por força de liminar. Essa regra justifica-se porque, nesse momento atual de restrição de circulação de pessoas, fica muito difícil que uma pessoa seja desalojada e consiga um outro local para alugar”, pontua Simone, no parecer.

Simone retirou do texto um trecho que causou polêmica: a permissão para atraso no pagamento de aluguéis. No projeto, Anastasia previa a suspensão da quitação pelos locatários até 30 de outubro. A senadora, porém, considerou que a regra deveria ser suprimida “por prever uma presunção absoluta de que os inquilinos não terão condição de pagar os aluguéis e por desconsiderar que há casos de locadores que sobrevivem apenas dessas rendas”.

“O ideal é deixar para as negociações privadas esse assunto, com a lembrança de que o ordenamento jurídico já dispõe de ferramentas para autorizar, a depender do caso concreto, a revisão contratual”, disse a senadora, citando o Código Civil e a Lei do Inquilinato.

Transitórias

O projeto de lei contém regras que, se aprovadas pela Câmara e sancionadas pelo presidente Jair Bolsonaro, valerão até 30 de outubro ou até a revogação do decreto de calamidade pública no país. A ideia é justamente criar normas excepcionais para lidar com o cenário imposto pela pandemia nas relações de direito privado.

A proposta aprovada prevê ainda a suspensão de algumas infrações de ordem econômica durante a pandemia. São elas: a venda de mercadoria ou a prestação de serviços injustificadamente abaixo do preço de custo e a cessão parcial ou totalmente das atividades da empresa sem justa causa comprovada. O texto ressalta que outros tipos de infração devem ser analisadas pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) considerando “as circunstâncias extraordinárias decorrentes da pandemia do Coronavírus (Covid-19)”.

​O texto ainda prevê que operações em que duas ou mais empresas celebram contrato associativo, consórcio ou joint venture deixem de ser submetidos ao CADE durante a crise.

Entre outras regras da proposta, está ainda o impedimento e suspensão de prazos prescricionais de processos que estão tramitando na Justiça, a partir da vigência da lei até 30 de outubro de 2020. Até a mesma data, a prisão civil por dívida alimentícia deverá ser cumprida exclusivamente sob a modalidade domiciliar.

Sobre o Código de Defesa do Consumidor, o projeto prevê a suspensão da validade de um artigo que prevê o “prazo de arrependimento”. Durante a pandemia, na hipótese de entrega domiciliar (delivery) de produtos perecíveis ou de consumo imediato e medicamentos, não haverá o prazo de sete dias para a desistência da compra.

Lei de proteção de dados

O projeto aprovado prevê ainda que a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados será postergada “de modo a não onerar as empresas em face das enormes dificuldades técnicas econômicas advindas da pandemia”. As sanções previstas na norma só entrariam em vigor em agosto de 2021, enquanto as regras gerais valeriam a partir de janeiro do ano que vem. A Lei Geral de Proteção de Dados entraria em vigor em agosto deste ano.

A postergação não agrada especialistas no assunto. A Comissão de Proteção de Dados e Privacidade, da seccional do Rio de Janeiro da Ordem dos Advogados do Brasil, é contra.

Leia também: Quarentena: Brasileiro é detido ao furar bloqueio na Itália

“É claro que entendemos que as empresas estão enfrentando situação difícil e não se deve gerar ônus maior a elas. Então, entendemos o adiamento das sanções. Mas há uma preocupação muito grande quanto ao arcabouço de normas, que garantem mais segurança tanto para as empresas quanto para a população. Mas precisamos proteger os dados dos cidadãos. Nesse momento, há, por exemplo, a intensificação do uso de dados em relação a profissionais de saúde. Queremos garantir que não haja o uso deles depois da emergência”, pontua a presidente do colegiado, Estela Aranha.

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2020-04-03/em-meio-a-pandemia-senado-proibe-liminares-de-despejo-ate-30-de-outubro.html

Secretário-geral da ONU afirma que pior do Covid-19 ainda virá – Mundo – iG

corona arrow-options Marcello Casal Jr/Agência Brasil Coronavírus

o secretário-geral da ONU , Antonio Guterres, fez um apelo aos governos e trouxe uma perspectiva pessimista para alertar sobre a realidade da pandemia de coronavírus. De acordo com ele, em discurso em Nova Iorque, “o vírus mostrou a rapidez com que pode atravessar fronteiras, devastar países e pôr vidas em risco. O pior ainda está para vir”. 

Em sua fala, o chefe de diplomacia expôs sua visão sobre o panorama mundial diante do Covid-19 e priorizou o risco da proliferação do vírus em locais como Síria, Afeganistão e em vários países africanos afetados por conflitos armados.

Pensando nisso, a ONU chegou a pedir um cessar-fogo mundial para abrir espaço para o combate à pandemia e recebeu uma adesão de mais de 70 países. “A tempestade  Covid-19 está agora chegando a todos estes teatros de conflito. Temos de fazer tudo o que for possível para encontrar a paz”, afirmou a entidade. 

O Covid-19 já atingiu mais de um milhão de pessoas em casos notificados em todo o mundo. Em muitos países, acredita-se que a doença ainda não atingiu o seu pico. 

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2020-04-03/o-pior-ainda-esta-por-vir-alerta-onu-sobre-covid-19.html

Mandetta quer sair, mas não vai pedir demissão, diz jornal – Política – iG

Jair Bolsonaro e Luiz Henrique usando máscaras de proteção em coletiva de imprensa arrow-options Isac Nóbrega/PR Jair Bolsonaro e Luiz Henrique em coletiva de imprensa

O ministro da Saúde teria dito a aliados em conversas nesta semana que pretende deixar o comando do Ministério, afirma a coluna Painel, da Folha de S.Paulo . Porém, ainda segundo o jornal, Mandetta teria afirmado  que não vai pedir demissão do cargo e espera ser destituído pelo presidente Jair Bolsonaro.

Leia também: “Quem tem mandato fala, quem não tem, trabalha”, diz Mandetta sobre Bolsonaro

Em meio a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), Bolsonaro e o ministro têm protagonizado uma certa tensão provocada por contradições nas recomendações do governo federal em relação às medidas que devem ser adotadas no combate à pandemia. Enquanto Mandetta defende o isolamento social, o presidente faz campanha para que os cidadãos voltem às ruas. Analistas consideram que o trabalho do ministro está sendo minado por Bolsonaro .

Leia também: Após Bolsonaro criticar Mandetta, Moro reafirma defesa de “isolamento”

Segundo a Folha , Mandetta acredita que não pode se demitir durante tamanha crise na saúde. Como médico ele teria, de acordo com o jornal, o sentido de missão em seu trabalho neste momento e, portanto, estaria esperando uma ação do presidente.

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/politica/2020-04-03/mandetta-quer-sair-do-governo-mas-nao-vai-pedir-demissao-diz-jornal.html

Bolsonaro posta novo vídeo contra isolamento: Tem de ouvir o povo – Política – iG

Nesta sexta-feira (03), Jair Bolsonaro atualizou sua conta no Twitter com outro vídeo de apoiadores manifestando insatisfação com o isolamento social – orientação da Organização Mundial da Saúde para conter a pandemia de Covid-19.

Leia também: Bolsonaro diz que auxílio de R$ 600 começará a ser pago na próxima semana

Jair Bolsonaro arrow-options Reprodução Jair Bolsonaro

No vídeo, em uma pequena aglomeração de pessoas, um apoiador de Bolsonaro que se apresenta como representante dos comerciantes de Taguatinda, no Distrito Federal, pede o fim do isolamento social

Leia também: Irmão de Bolsonaro tem lotérica e é beneficiado por medida do governo

Em resposta aos apoiadores, o mandatário falou sobre a Covid-19 , comparando a doença com a chuva: “Esse vírus é como a chuva… vai molhar 70% de vocês. O que estão fazendo é adiar [o pico] para ter espaço nos hospitais, mas tem um detalhe: a sociedade não aguenta ficar dois ou três meses parada”.

Leia também: Em entrevista, Bolsonaro defende retorno de atividades na próxima semana

Após ouvir a manifestação contra o isolamento social de outras pessoas, Bolsonaro declarou: “Tem que ouvir a voz do povo”. Assista o vídeo na íntegra.

– Palácio do Alvorada (03/04/2020). . Link no youtube: https://t.co/80dC4IkJKE

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) April 3, 2020

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/politica/2020-04-03/bolsonaro-posta-novo-video-contra-isolamento-tem-de-ouvir-o-povo.html

“Aglutinação tem que parar”, diz Mandetta em live de Jorge e Mateus | VEJA

Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, fez uma participação especial durante a live no YouTube da dupla sertaneja Jorge & Mateus neste sábado, 4. Mandetta apareceu em uma gravação quando a transmissão atingia de 3,2 milhões de pessoas na plataforma. Ele retornou mais tarde para mais um recado em apoio a artistas, reforçando o discurso anterior.

“Importante que a música chegue, mas que a gente não aglutine, que a gente não coloque as pessoas no mesmo lugar. Os show são feitos de casa. O show não pode parar, mas a aglutinação tem que parar. A gente precisa agora proteger um ao outro e o sistema de saúde se preparar para, no momento certo, a gente poder se abraçar”, disse Mandetta.

A live de Jorge & Mateus começou às 20h e os artistas ficaram quatro horas ao vivo. A dupla, que estava em Goiânia, bateu o recorde mundial de pessoas assistindo ao mesmo tempo uma transmissão ao vivo no YouTube. O recorde anterior era de Gusttavo Lima que no último sábado, 28 de março, contou com cerca de 750.000 pessoas ao vivo. Antes dele, quem detinha o maior público ao vivo era a cantora americana Beyoncé, com cerca de 500.000 em 2018. Para ter uma ideia do tamanho do alcance da live de Jorge & Mateus, cabe uma comparação com a transmissão do Lollapalooza pelo canal por assinatura Multishow, que teve uma audiência de 4,5 milhões de telespectadores em 2019.

“Meio estranho cantar assim. A gente sente falta do calor humano, uma das melhores sensações é esse contato bacana com o público. Mas a gente está fazendo o possível pra estar em contato com vocês”, disse Mateus.

Continua após a publicidade

A dupla sertaneja também pediu doações para a entidade Fome de Música, que distribui alimentos para as pessoas mais necessitadas. A live contou ainda com patrocínio de diversas empresas, como uma marca de cerveja, um aplicativo de entregas e uma loja virtual de eletro-eletrônicos.

Fonte: veja.abril.com.br/entretenimento/aglutinacao-tem-que-parar-diz-mandetta-em-live-de-jorge-e-mateus

Doria manifesta apoio a Mandetta e pede resistência no cargo – Política – iG

Em coletiva nesta sexta-feira, Doria pediu que ministro da saúde resista no cargo arrow-options Governo do Estado de São Paulo/Reprodução Em coletiva nesta sexta-feira, Doria pediu que ministro da saúde resista no cargo

Em coletiva nesta sexta-feira (03), Doria prestou apoio ao ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta , que vem sofrendo críticas do presidente Jair Bolsonaro. O governador do Estado de São Paulo declarou que o esforço do ministro da saúde está sendo reconhecido pela população, pela ciência e pelos governadores.

“Esperamos, ministro, que o senhor continue cumprindo seu papel, apesar de todo o esforço e sacrifício e resista aos despreparados. A sua resistência como ministro da saúde do Brasil está ajudando a salvar vidas de milhares de brasileiros”, declarou.

Veja também: São Paulo possui 3.506 casos e 214 mortes causadas por Covid-19

A manifestação de Doria se dá devido à declaração de Bolsonaro na última quinta-feira (02), que Mandetta precisa “ter mais humildade”. Mandetta, no entanto, diz que segue fazendo seu trabalho e que só sairá caso seja demitido.

Leia mais: Quarentena: Brasileiro é detido ao furar bloqueio na Itália  

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/politica/2020-04-03/doria-expressa-solidariedade-a-ministro-mandetta-resista-aos-despreparados.html

Covid-19: pandemia pode afetar aferições e impactar meteorologia – Ciência – iG

Chuva arrow-options Pixabay Sem medições manuais, previsões meteorológicas podem ser afetadas em todo o planeta

A pandemia da Covid-19 está trazendo preocupação para quem é responsável por analisar dados meteorológicos e realizar previsões. Em comunicado, a  Organização Meteorológica Mundial (WMO na sigla em inglês) revelou que o novo coronavírus (Sars-Cov-2) pode impactar na qualidade das observações e no monitoramente da atmosfera e do clima.

Leia também: Com apenas 20 pacientes, navio-hospital é criticado nos EUA: “grande piada”

Gerido pela WMO, o Sistema de Observação Global serve como parâmetro para todos os serviços e produtos climáticos fornecidos a 193 estados e territórios membros da organização. Ele fornece observações sobre o estado da atmosfera e da superfície do oceano a partir de instrumentos terrestres, marinhos e espaciais, que são usadas para a preparação de análises meteorológicas, previsão do tempo e monitoramento do clima.

“Os Serviços Meteorológicos e Hidrológicos Nacionais seguem desempenhando suas funções essenciais 24 horas por dia e sete dias por semana, apesar dos graves desafios impostos pela pandemia da Covid-19. Saudamos sua dedicação em proteger vidas e propriedades, mas estamos atentos às crescentes restrições de capacidade e recursos”, disse o secretário-geral da WMO, Petteri Taalas.

Taalas afirmou ainda que os impactos das mudanças climáticas e a crescente quantidade de desastres relacionados ao clima continuam: “é essencial que os governos prestem  atenção em seu alerta nacional e às capacidades de observação do clima, apesar da crise do Covid-19 ”.

Leia também: Ministros do TSE consideram adiar eleições, mas descartam prorrogar mandatos

Grande parte do sistema de observação, como os componentes de satélite e redes de observação terrestres, por exemplo, já é automatizado e deve seguir funcionando por semanas. Porém, a falta de reparos, manutenção e suprimentos podem trazer problemas ao sistema de redistribuição.

Segundo a WMO, algumas partes do sistema de observação já estão sendo afetadas, com destaque para a diminuição significativa do tráfego aéreo. As medições de temperatura ambiente e da velocidade e direção do vento em voo são uma fonte muito importante de informações para a previsão do tempo e monitoramento do clima. 

Dados meteorológicos de aeronaves

Aviões comerciais contribuem para o programa “Airbus Meteorological Data Relay” (AMDAR), que usa sensores, computadores e sistemas de comunicação para coletar, processar, formatar e transmitir observações meteorológicas para estações terrestres via satélite ou rádio. Em algumas partes do mundo, em particular na Europa, a diminuição do número de medições nas últimas duas semanas tem sido dramática. 

Em situações normais, o sistema de observação produzia por dia mais de 700 mil observações de alta qualidade de temperatura do ar, velocidade e direção do vento. Além disso, fornecia informações posicionais e temporais necessárias, com número crescente de medições de umidade e turbulência.

Leia também: Bolsonaro considera propor jejum de todos os brasileiros contra a Covid-19

Observações baseadas em superfície

Na maioria dos países desenvolvidos, as observações meteorológicas de superfície são quase totalmente automatizadas. No entanto, em países como o Brasil, a transição para observações automatizadas ainda está em andamento, e a comunidade meteorológica ainda depende de observações manuais, que transmitem às redes internacionais para uso em modelos globais de tempo e clima.

Desde o início da pandemia , a WMO registrou diminuição significativa na disponibilidade de observação manual. Parte disso pode estar relacionada à situações de isolamento em diversos países, mas ainda não está claro se outros fatores também podem ter contribuído.

“Atualmente, o impacto adverso da perda de observações na qualidade dos produtos para previsão do tempo ainda é relativamente pequeno. No entanto, à medida que a diminuição na disponibilidade de observações meteorológicas das aeronaves continua e se expande, podemos esperar uma queda gradual na confiabilidade das previsões”, disse Lars Peter Riishojgaard, diretor da filial do sistema terrestre no departamento de infraestrutura da WMO.

Segundo Riishojgaard, o mesmo vale se a diminuição das observações meteorológicas na superfície continuar e, em particular, se o surto de covid-19 começar a impactar de forma mais significativa a capacidade de trabalho de observadores em países subdesenvolvidos. “A WMO continuará monitorando a situação, e a organização está trabalhando com seus membros para mitigar o impacto o máximo possível”, finalizou.

Leia também: Epicentro da Covid-19, cidade de Wuhan começa a “voltar à vida”; assista

*Tradução e adaptação de Paula Soares e Amanda Sampaio

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2020-04-04/covid-19-pandemia-pode-impactar-dados-e-atrapalhar-previsoes-meteorologicas.html

Capitão afastado por alertar sobre covid-19 sai aclamado de navio – Mundo – iG

Tripulação de porta-aviões americano ovacionou capitão afastado após alertar sobre covid-19 arrow-options Rperodução Tripulação de porta-aviões americano ovacionou capitão afastado por alertar sobre covid-19

Afastado da Marinha dos Estados Unidos depois de pedir a evacuação de marinheiros devido ao registro de casos de covid-19 no porta-aviões Theodore Roosevelt, o capitão Brett Crozier foi ovacionado ao deixar a embarcação, na noite de quinta-feira (02). Um vídeo gravado de dentro do navio mostra a tripulação cantando o nome do capitão enquanto ele desce a rampa.

A Marinha chegou a anunciar a demissão de Crozier, mas voltou atrás após o caso ganhar grande repercussão, e decidiu optar apenas por uma transferência, conforme comunicou o secretário da Marinha do EUA, Thomas Modly, nesta sexta-feira (03).

Here is Captain Crozier walking away from his ship while sailors chant his name after he was relieved from duty for blowing the whistle on a coronavirus contamination aboard the USS Roosevelt. He sacrificed himself and it sounds like everyone knows it. pic.twitter.com/hwiu7Z1MVV

— Amee Vanderpool (@girlsreallyrule) April 3, 2020

A polêmica começou quando uma carta escrita pelo capitão vazou na imprensa norte-americana. O texto falava que mais de 100 tripulantes do porta-aviões Theodores Roosevel haviam sido diagnosticados com covid-19 e que, por isso, era necessária uma evacuação para preservar a vida de todos.  A embarcação está ancorada na ilha de Guam, na Micronésia, no Pacífico, cerca de 2.000 km ao leste das Filipinas.

Leia também: Nos EUA, cidadãos do Texas vão receber multa se não cobrirem boca e nariz

“Não estamos em guerra. Os marinheiros não precisam morrer”,  diz um trecho do texto, segundo o San Francisco Chronicle.”A propagação da doença está em andamento e acelerando”,  antes de pedir para que quase toda a tripulação fosse colocada em quarentena, argumentando que seria um “risco desnecessário” se todos permanecerem a bordo.

A divulgação da carta foi condenada pelos superiores da Marinha. “Ele a enviou (a carta) de maneira bastante ampla e não teve o cuidado de garantir que não pudesse vazar, e isso faz parte de sua responsabilidade”, disse Tomas Modly quando se pronunciou pela primeira vez sobre o vazamento. O presidente Donald Trump não se prolongou quando questionado sobre o assunto, mas diss que “não concorda nem um pouco” com a atitude tomada pelo militar.

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2020-04-03/afastado-apos-alertar-sobre-covid-19-capitao-sai-ovacionado-de-navio-americano.html

Rússia ataca jornal italiano que acusa russos de enviarem espiões – Mundo – iG

Rússia Itália espiões arrow-options Pixabay/Michel van der Vegt Bandeira da Rússia

O Ministério da Defesa da Rússia emitiu uma nota oficial nesta sexta-feira (03) criticando jornal italiano “La Stampa” por conta de matérias publicadas sobre a doação de materiais por parte de Moscou durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). A atitude gerou uma crise política entre os dois países. Os ataques se dirigem, especialmente, a uma série de matérias publicadas pelo jornalista Jacobo Iacoboni, que levanta suspeitas de que os russos enviaram espiões em meio aos profissionais de saúde que foram para a Itália.

Leia também: Coronavírus no Brasil: acompanhe a situação no País em tempo real

“Nós notamos as tentativas do jornal italiano ‘La Stampa’, em curso já há duas semanas, de desacreditar a missão enviada pela Rússia em resposta ao pedido de ajuda do povo italiano, atingido pela desgraça. Escondendo-se atrás dos ideais da liberdade de expressão e do pluralismo de opiniões nas suas matérias, ‘La Stampa’ manipula os fakes russofóbicos da pior espécie, da época da Guerra Fria, citando ‘opiniões’ anônimas de fontes ‘altamente alocadas'”, escreveu em nota o general-maior e representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia , Igor Konashenkov.

Segundo Konashenkov, o jornal “não para de usar o recurso, que são invenções dos próprios autores, seguindo as linhas dos manuais de propaganda antissoviéticas que, aparentemente, ainda não apodreceram”.

Em tom de ameaça, o general afirma que o jornal é “russofóbico” e cita duas frases históricas. “Eles precisam aprender uma antiga sabedoria: ‘Qui fodit foveam, incidet in eam’ (quem cava uma cova, cairá nela). Ou ainda, sendo mais claros: ‘Bad penny always comes back’ (‘um centavo ruim sempre volta’)”, afirmou.

Após a polêmica, foi a vez dos Ministérios da Defesa e das Relações Exteriores da Itália emitirem uma nota oficial conjunta sobre o caso, agradecendo a ajuda dos russos durante a pandemia, mas dizendo que “não pode deixar de mencionar o tom inoportuno de certas expressões usadas pelo porta-voz do Ministério da Defesa russo na relação com algumas matérias da imprensa italiana”.

“A liberdade de expressão e o direito à crítica são valores fundamentais do nosso país, assim como o direito de resposta. Nesse momento de emergência global, a tarefa de monitorar e analisar a liberdade de imprensa permanece mais importante do que nunca”, diz ainda a nota.

O comunicado afirma que, neste momento, a Itália está recebendo ajuda e apoio de muitos países e que é evidente a solidariedade que os italianos vem recebendo.

“Materiais e equipes capacitadas que chegaram da Rússia, assim como as contribuições enviadas de todos os outros países amigos, foram amplamente descritos e documentados com transparência por parte das Instituições. Reforça-se que a equipe sanitária russa, que chegou na Itália no dia 22 de março, trabalha em sinergia com o pessoal da Defesa italiana e do Ministério da Saúde”, informa ainda.

Por sua vez, o diretor do jornal , Maurizio Molinari, afirmou que a publicação descreveu a ajuda recebida da Rússia “como fez com outros países: como demonstração de amizade e solidariedade em um momento dramático e de dificuldade para o país”.

Leia também: Profissionais de enfermagem são agredidos a caminho do trabalho em São Paulo

“Ao mesmo tempo, algumas de nossas matérias levantaram dúvidas e perplexidades, italianas e não, da possível presença de militares empenhados em missões de inteligência. Tratam-se de dois aspectos da mesma notícia, que os nossos jornalistas enfrentam com profissionalismo”, destacou Molinari sobre a crise com a Rússia

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2020-04-03/russia-ataca-jornal-que-alega-envio-de-espioes-russos-para-italia-e-gera-crise.html

Governo de SP importa 1,3 milhão de testes de Covid-19 da Coreia – Brasil – iG

cientista arrow-options Pedro Rafael Vilela/ Agência Brasil Além de anunciar compra de testes, governo divulgou taxa de vacinação contra gripe

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, governo do estado de São Paulo anunciou a compra de 1,3 milhão de testes para Covid-19 importados da Coreia . Os lotes devem chegar a São Paulo até o próximo dia 15.

“A prioridade neste momento serão os pacientes graves e internados, os profissionais de saúde e os óbitos”, afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan sobre a aplicação dos testes de Covid-19 .

Sobre a campanha de vacinação para gripe comum, foi divulgado o dado de que 84% dos idosos e 56% dos profissionais de saúde do estado já estão vacinados, totalizando  4,8 milhões de pessoas.

Veja:  Doria manifesta solidariedade a Mandetta: ‘sua resistência ajuda a salvar vidas’

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2020-04-03/governo-de-sp-importa-13-milhao-de-testes-de-covid-19-da-coreia.html