Rua Coutinho e Melo, 18 (11)3808-9993(11) 96362-5253

REDUZA A PARCELA DO SEU VEÍCULO EM ATÉ 40%! QUITE SEU VEÍCULO COM ATÉ 70% DE DESCONTE! FALE CONOSCO AGORA!

Blog

Home » Blog » Página 3

“Aglutinação tem que parar”, diz Mandetta em live de Jorge e Mateus | VEJA

Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, fez uma participação especial durante a live no YouTube da dupla sertaneja Jorge & Mateus neste sábado, 4. Mandetta apareceu em uma gravação quando a transmissão atingia de 3,2 milhões de pessoas na plataforma. Ele retornou mais tarde para mais um recado em apoio a artistas, reforçando o discurso anterior.

“Importante que a música chegue, mas que a gente não aglutine, que a gente não coloque as pessoas no mesmo lugar. Os show são feitos de casa. O show não pode parar, mas a aglutinação tem que parar. A gente precisa agora proteger um ao outro e o sistema de saúde se preparar para, no momento certo, a gente poder se abraçar”, disse Mandetta.

A live de Jorge & Mateus começou às 20h e os artistas ficaram quatro horas ao vivo. A dupla, que estava em Goiânia, bateu o recorde mundial de pessoas assistindo ao mesmo tempo uma transmissão ao vivo no YouTube. O recorde anterior era de Gusttavo Lima que no último sábado, 28 de março, contou com cerca de 750.000 pessoas ao vivo. Antes dele, quem detinha o maior público ao vivo era a cantora americana Beyoncé, com cerca de 500.000 em 2018. Para ter uma ideia do tamanho do alcance da live de Jorge & Mateus, cabe uma comparação com a transmissão do Lollapalooza pelo canal por assinatura Multishow, que teve uma audiência de 4,5 milhões de telespectadores em 2019.

“Meio estranho cantar assim. A gente sente falta do calor humano, uma das melhores sensações é esse contato bacana com o público. Mas a gente está fazendo o possível pra estar em contato com vocês”, disse Mateus.

Continua após a publicidade

A dupla sertaneja também pediu doações para a entidade Fome de Música, que distribui alimentos para as pessoas mais necessitadas. A live contou ainda com patrocínio de diversas empresas, como uma marca de cerveja, um aplicativo de entregas e uma loja virtual de eletro-eletrônicos.

Fonte: veja.abril.com.br/entretenimento/aglutinacao-tem-que-parar-diz-mandetta-em-live-de-jorge-e-mateus

Doria manifesta apoio a Mandetta e pede resistência no cargo – Política – iG

Em coletiva nesta sexta-feira, Doria pediu que ministro da saúde resista no cargo arrow-options Governo do Estado de São Paulo/Reprodução Em coletiva nesta sexta-feira, Doria pediu que ministro da saúde resista no cargo

Em coletiva nesta sexta-feira (03), Doria prestou apoio ao ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta , que vem sofrendo críticas do presidente Jair Bolsonaro. O governador do Estado de São Paulo declarou que o esforço do ministro da saúde está sendo reconhecido pela população, pela ciência e pelos governadores.

“Esperamos, ministro, que o senhor continue cumprindo seu papel, apesar de todo o esforço e sacrifício e resista aos despreparados. A sua resistência como ministro da saúde do Brasil está ajudando a salvar vidas de milhares de brasileiros”, declarou.

Veja também: São Paulo possui 3.506 casos e 214 mortes causadas por Covid-19

A manifestação de Doria se dá devido à declaração de Bolsonaro na última quinta-feira (02), que Mandetta precisa “ter mais humildade”. Mandetta, no entanto, diz que segue fazendo seu trabalho e que só sairá caso seja demitido.

Leia mais: Quarentena: Brasileiro é detido ao furar bloqueio na Itália  

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/politica/2020-04-03/doria-expressa-solidariedade-a-ministro-mandetta-resista-aos-despreparados.html

Covid-19: pandemia pode afetar aferições e impactar meteorologia – Ciência – iG

Chuva arrow-options Pixabay Sem medições manuais, previsões meteorológicas podem ser afetadas em todo o planeta

A pandemia da Covid-19 está trazendo preocupação para quem é responsável por analisar dados meteorológicos e realizar previsões. Em comunicado, a  Organização Meteorológica Mundial (WMO na sigla em inglês) revelou que o novo coronavírus (Sars-Cov-2) pode impactar na qualidade das observações e no monitoramente da atmosfera e do clima.

Leia também: Com apenas 20 pacientes, navio-hospital é criticado nos EUA: “grande piada”

Gerido pela WMO, o Sistema de Observação Global serve como parâmetro para todos os serviços e produtos climáticos fornecidos a 193 estados e territórios membros da organização. Ele fornece observações sobre o estado da atmosfera e da superfície do oceano a partir de instrumentos terrestres, marinhos e espaciais, que são usadas para a preparação de análises meteorológicas, previsão do tempo e monitoramento do clima.

“Os Serviços Meteorológicos e Hidrológicos Nacionais seguem desempenhando suas funções essenciais 24 horas por dia e sete dias por semana, apesar dos graves desafios impostos pela pandemia da Covid-19. Saudamos sua dedicação em proteger vidas e propriedades, mas estamos atentos às crescentes restrições de capacidade e recursos”, disse o secretário-geral da WMO, Petteri Taalas.

Taalas afirmou ainda que os impactos das mudanças climáticas e a crescente quantidade de desastres relacionados ao clima continuam: “é essencial que os governos prestem  atenção em seu alerta nacional e às capacidades de observação do clima, apesar da crise do Covid-19 ”.

Leia também: Ministros do TSE consideram adiar eleições, mas descartam prorrogar mandatos

Grande parte do sistema de observação, como os componentes de satélite e redes de observação terrestres, por exemplo, já é automatizado e deve seguir funcionando por semanas. Porém, a falta de reparos, manutenção e suprimentos podem trazer problemas ao sistema de redistribuição.

Segundo a WMO, algumas partes do sistema de observação já estão sendo afetadas, com destaque para a diminuição significativa do tráfego aéreo. As medições de temperatura ambiente e da velocidade e direção do vento em voo são uma fonte muito importante de informações para a previsão do tempo e monitoramento do clima. 

Dados meteorológicos de aeronaves

Aviões comerciais contribuem para o programa “Airbus Meteorological Data Relay” (AMDAR), que usa sensores, computadores e sistemas de comunicação para coletar, processar, formatar e transmitir observações meteorológicas para estações terrestres via satélite ou rádio. Em algumas partes do mundo, em particular na Europa, a diminuição do número de medições nas últimas duas semanas tem sido dramática. 

Em situações normais, o sistema de observação produzia por dia mais de 700 mil observações de alta qualidade de temperatura do ar, velocidade e direção do vento. Além disso, fornecia informações posicionais e temporais necessárias, com número crescente de medições de umidade e turbulência.

Leia também: Bolsonaro considera propor jejum de todos os brasileiros contra a Covid-19

Observações baseadas em superfície

Na maioria dos países desenvolvidos, as observações meteorológicas de superfície são quase totalmente automatizadas. No entanto, em países como o Brasil, a transição para observações automatizadas ainda está em andamento, e a comunidade meteorológica ainda depende de observações manuais, que transmitem às redes internacionais para uso em modelos globais de tempo e clima.

Desde o início da pandemia , a WMO registrou diminuição significativa na disponibilidade de observação manual. Parte disso pode estar relacionada à situações de isolamento em diversos países, mas ainda não está claro se outros fatores também podem ter contribuído.

“Atualmente, o impacto adverso da perda de observações na qualidade dos produtos para previsão do tempo ainda é relativamente pequeno. No entanto, à medida que a diminuição na disponibilidade de observações meteorológicas das aeronaves continua e se expande, podemos esperar uma queda gradual na confiabilidade das previsões”, disse Lars Peter Riishojgaard, diretor da filial do sistema terrestre no departamento de infraestrutura da WMO.

Segundo Riishojgaard, o mesmo vale se a diminuição das observações meteorológicas na superfície continuar e, em particular, se o surto de covid-19 começar a impactar de forma mais significativa a capacidade de trabalho de observadores em países subdesenvolvidos. “A WMO continuará monitorando a situação, e a organização está trabalhando com seus membros para mitigar o impacto o máximo possível”, finalizou.

Leia também: Epicentro da Covid-19, cidade de Wuhan começa a “voltar à vida”; assista

*Tradução e adaptação de Paula Soares e Amanda Sampaio

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2020-04-04/covid-19-pandemia-pode-impactar-dados-e-atrapalhar-previsoes-meteorologicas.html

Capitão afastado por alertar sobre covid-19 sai aclamado de navio – Mundo – iG

Tripulação de porta-aviões americano ovacionou capitão afastado após alertar sobre covid-19 arrow-options Rperodução Tripulação de porta-aviões americano ovacionou capitão afastado por alertar sobre covid-19

Afastado da Marinha dos Estados Unidos depois de pedir a evacuação de marinheiros devido ao registro de casos de covid-19 no porta-aviões Theodore Roosevelt, o capitão Brett Crozier foi ovacionado ao deixar a embarcação, na noite de quinta-feira (02). Um vídeo gravado de dentro do navio mostra a tripulação cantando o nome do capitão enquanto ele desce a rampa.

A Marinha chegou a anunciar a demissão de Crozier, mas voltou atrás após o caso ganhar grande repercussão, e decidiu optar apenas por uma transferência, conforme comunicou o secretário da Marinha do EUA, Thomas Modly, nesta sexta-feira (03).

Here is Captain Crozier walking away from his ship while sailors chant his name after he was relieved from duty for blowing the whistle on a coronavirus contamination aboard the USS Roosevelt. He sacrificed himself and it sounds like everyone knows it. pic.twitter.com/hwiu7Z1MVV

— Amee Vanderpool (@girlsreallyrule) April 3, 2020

A polêmica começou quando uma carta escrita pelo capitão vazou na imprensa norte-americana. O texto falava que mais de 100 tripulantes do porta-aviões Theodores Roosevel haviam sido diagnosticados com covid-19 e que, por isso, era necessária uma evacuação para preservar a vida de todos.  A embarcação está ancorada na ilha de Guam, na Micronésia, no Pacífico, cerca de 2.000 km ao leste das Filipinas.

Leia também: Nos EUA, cidadãos do Texas vão receber multa se não cobrirem boca e nariz

“Não estamos em guerra. Os marinheiros não precisam morrer”,  diz um trecho do texto, segundo o San Francisco Chronicle.”A propagação da doença está em andamento e acelerando”,  antes de pedir para que quase toda a tripulação fosse colocada em quarentena, argumentando que seria um “risco desnecessário” se todos permanecerem a bordo.

A divulgação da carta foi condenada pelos superiores da Marinha. “Ele a enviou (a carta) de maneira bastante ampla e não teve o cuidado de garantir que não pudesse vazar, e isso faz parte de sua responsabilidade”, disse Tomas Modly quando se pronunciou pela primeira vez sobre o vazamento. O presidente Donald Trump não se prolongou quando questionado sobre o assunto, mas diss que “não concorda nem um pouco” com a atitude tomada pelo militar.

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2020-04-03/afastado-apos-alertar-sobre-covid-19-capitao-sai-ovacionado-de-navio-americano.html

Rússia ataca jornal italiano que acusa russos de enviarem espiões – Mundo – iG

Rússia Itália espiões arrow-options Pixabay/Michel van der Vegt Bandeira da Rússia

O Ministério da Defesa da Rússia emitiu uma nota oficial nesta sexta-feira (03) criticando jornal italiano “La Stampa” por conta de matérias publicadas sobre a doação de materiais por parte de Moscou durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). A atitude gerou uma crise política entre os dois países. Os ataques se dirigem, especialmente, a uma série de matérias publicadas pelo jornalista Jacobo Iacoboni, que levanta suspeitas de que os russos enviaram espiões em meio aos profissionais de saúde que foram para a Itália.

Leia também: Coronavírus no Brasil: acompanhe a situação no País em tempo real

“Nós notamos as tentativas do jornal italiano ‘La Stampa’, em curso já há duas semanas, de desacreditar a missão enviada pela Rússia em resposta ao pedido de ajuda do povo italiano, atingido pela desgraça. Escondendo-se atrás dos ideais da liberdade de expressão e do pluralismo de opiniões nas suas matérias, ‘La Stampa’ manipula os fakes russofóbicos da pior espécie, da época da Guerra Fria, citando ‘opiniões’ anônimas de fontes ‘altamente alocadas'”, escreveu em nota o general-maior e representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia , Igor Konashenkov.

Segundo Konashenkov, o jornal “não para de usar o recurso, que são invenções dos próprios autores, seguindo as linhas dos manuais de propaganda antissoviéticas que, aparentemente, ainda não apodreceram”.

Em tom de ameaça, o general afirma que o jornal é “russofóbico” e cita duas frases históricas. “Eles precisam aprender uma antiga sabedoria: ‘Qui fodit foveam, incidet in eam’ (quem cava uma cova, cairá nela). Ou ainda, sendo mais claros: ‘Bad penny always comes back’ (‘um centavo ruim sempre volta’)”, afirmou.

Após a polêmica, foi a vez dos Ministérios da Defesa e das Relações Exteriores da Itália emitirem uma nota oficial conjunta sobre o caso, agradecendo a ajuda dos russos durante a pandemia, mas dizendo que “não pode deixar de mencionar o tom inoportuno de certas expressões usadas pelo porta-voz do Ministério da Defesa russo na relação com algumas matérias da imprensa italiana”.

“A liberdade de expressão e o direito à crítica são valores fundamentais do nosso país, assim como o direito de resposta. Nesse momento de emergência global, a tarefa de monitorar e analisar a liberdade de imprensa permanece mais importante do que nunca”, diz ainda a nota.

O comunicado afirma que, neste momento, a Itália está recebendo ajuda e apoio de muitos países e que é evidente a solidariedade que os italianos vem recebendo.

“Materiais e equipes capacitadas que chegaram da Rússia, assim como as contribuições enviadas de todos os outros países amigos, foram amplamente descritos e documentados com transparência por parte das Instituições. Reforça-se que a equipe sanitária russa, que chegou na Itália no dia 22 de março, trabalha em sinergia com o pessoal da Defesa italiana e do Ministério da Saúde”, informa ainda.

Por sua vez, o diretor do jornal , Maurizio Molinari, afirmou que a publicação descreveu a ajuda recebida da Rússia “como fez com outros países: como demonstração de amizade e solidariedade em um momento dramático e de dificuldade para o país”.

Leia também: Profissionais de enfermagem são agredidos a caminho do trabalho em São Paulo

“Ao mesmo tempo, algumas de nossas matérias levantaram dúvidas e perplexidades, italianas e não, da possível presença de militares empenhados em missões de inteligência. Tratam-se de dois aspectos da mesma notícia, que os nossos jornalistas enfrentam com profissionalismo”, destacou Molinari sobre a crise com a Rússia

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2020-04-03/russia-ataca-jornal-que-alega-envio-de-espioes-russos-para-italia-e-gera-crise.html

Governo de SP importa 1,3 milhão de testes de Covid-19 da Coreia – Brasil – iG

cientista arrow-options Pedro Rafael Vilela/ Agência Brasil Além de anunciar compra de testes, governo divulgou taxa de vacinação contra gripe

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, governo do estado de São Paulo anunciou a compra de 1,3 milhão de testes para Covid-19 importados da Coreia . Os lotes devem chegar a São Paulo até o próximo dia 15.

“A prioridade neste momento serão os pacientes graves e internados, os profissionais de saúde e os óbitos”, afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan sobre a aplicação dos testes de Covid-19 .

Sobre a campanha de vacinação para gripe comum, foi divulgado o dado de que 84% dos idosos e 56% dos profissionais de saúde do estado já estão vacinados, totalizando  4,8 milhões de pessoas.

Veja:  Doria manifesta solidariedade a Mandetta: ‘sua resistência ajuda a salvar vidas’

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2020-04-03/governo-de-sp-importa-13-milhao-de-testes-de-covid-19-da-coreia.html

92% das mães nas favelas não terão comida após um mês sem renda – Brasil – iG

Uma pesquisa realizada pelo Data Favela e pelo Instituto Locomotiva, divulgada nesta sexta-feira (03), aponta que as favelas do Brasil têm cerca de 5,2 milhões de mães.

Leia também: Bolsonaro sugere que jovens sejam infectados e virem “barreira” contra Covid-19

Favela arrow-options Chensiyuan / Creative Commons Favela

Leia também: Após relatarem sintomas da Covid-19, famosos são vistos circulando na rua

Sabendo que o mundo enfrenta um momento delicado devido à pandemia de Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus , as instituições fizeram alguns recortes e perceberam que das 5,2 milhõe de mães nas favelas , 92% alegam que terão dificuldades para comprar comida após um mês sem renda. Oito a cada dez dizem que a renda já caiu por causa da vírus.

Leia também: Covid-19: Esgoto pode ser propagador do vírus, diz estudo

72% afirmam que a alimentação de sua família ficará prejudicada pela ausência de renda, durante o isolamento social. 73% dizem que não têm nenhuma poupança que permita manter os gastos sem trabalhar por um dia que seja. Além disso, 76% relatam que, com os filhos em casa sem ir para a escola (devido à Covid-19 ), os gastos em casa já aumentaram.

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2020-04-03/92-das-maes-nas-favelas-nao-terao-comida-apos-um-mes-sem-renda.html

Rio pode ter até 10 mil casos subnotificados da Covid-19 – Brasil – iG

coronavírus arrow-options Pixabay/Tumisu Casos de Covid-19 podem ser muito maiores no Rio de Janeiro

O Secretário Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, afirmou durante uma entrevista ao programa RJTV que os casos de infectados pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) no estado pode ser dez vezes maior do que o anunciado oficialmente.

Leia também: 92% das mães da favela ficarão sem comida após um mês sem renda

“Provavelmente deve ter dez vezes mais casos do que a gente está vendo”, disse Edmar, adiantando que a subnotificação não impacta o número de mortes registradas. “Mortos e casos graves a gente tem monitorado de perto”. Ate a manhã desta sexta-feira (03) o Rio de Janeiro contabilizava 992 casos confirmados e 41 mortes pela Covid-19 (letalidade em 4,1%).

Durante a entrevista o secretário também informou que dos casos subnotificados, entre 60% e 70% são assintomáticos. Ele afirmou que 65 mortes suspeitas estão sob investigação para Covid-19.

Falta de testes impede número real de casos no estado

Edmar comunicou que, a partir da semana que vem, mais precisamente no dia 07 de abril, o estado do Rio de Janeiro começará a testagem em massa de pacientes com suspeita do coronavírus.

O secretário ainda defendeu o isolamento social por mais algum tempo para que a curva de contaminação diminuía. “Daqui a 15 dias a gente deve ter a horizontalização da curva. Isso só é possível com isolamento social , lembrando que a capital é onde tem 80% dos casos e só fez o isolamento há uma semana”.

Leia também: Senado permite que igrejas passem a fazer reunião presencial durante pandemia

“A testagem em larga escala e o inquérito epidemiológico vão nos dar informações importantes para isso [prolongamento da quarentena]. Temos essas duas semanas, vamos ter como falar a partir daí. Mas, minimamente, a maioria dos países tem visto que menos de 2 meses não dá para fazer”, finalizou.

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2020-04-03/rio-de-janeiro-pode-ter-ate-10-mil-casos-subnotificados-de-covid-19.html

‘Todos terão contato com o Covid-19”, diz Gabbardo – Brasil – iG

Agência Brasil

gabbardo arrow-options Reprodução / YouTube João Gabbardo dos Reis, secretário-executivo do Ministério da Saúde, uarta-feira (24)

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, afirmou em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, em Brasília, que é provável que o novo coranavírus alcance toda a população. O contágio não quer dizer, no entanto, que todas essas pessoas desenvolverão os sintomas da doença.

Leia mais: Maggiore não tem equipe infectada com Covid-19, apesar da morte de 79 pacientes

Conforme histórico da disseminação da doença, já observado em outros países, 86% das pessoas que entraram em contato com o novo coronavírus não apresentaram nenhum problema de saúde decorrente. Os 14% restantes tiveram que procurar hospitais, desses alguns foram internados, alguns em unidades de terapia intensiva, e uma fração veio a óbito. A atual taxa de natalidade no Brasil é de 4,2% dos casos notificados.

“Todo mundo vai ter contato com o vírus. O que a gente precisa é ter tempo”, disse Gabbardo se referindo à necessidade de ampliação de atendimento, preparação de mais leitos e equipamento de mais unidades com respiradores artificiais. Preocupa o secretário-executivo riscos de sobreposição da Covid-19 com eventual aumento de gripe por influenza (H1N1) comum no inverno brasileiro. O país já iniciou a campanha nacional de vacinação anual contra a gripe.

Segundo o secretário-executivo, como ocorre em outras doenças, o organismo de muitas pessoas que venham a entrar em contato com vírus reagira produzindo a autoimunidade, o que no futuro, junto com tratamentos e uma vacina a ser desenvolvida, favorecerá a não mais disseminação massiva da doença como ocorre atualmente no Brasil e em outros países. “O fluxo de transmissão começa a diminuir quando já tiver 50% [da população] imunizada”, explicou Gabbardo.

Leia também: Durante pandemia do Covid-19, subsecretária da Saúde do Rio é exonerada

De acordo com o Ministério da Saúde, 10.278 pessoas se infectaram com o novo coronavírus no Brasil até hoje (sábado, 4). O número de pessoas mortas por causa da Covid-19 já totaliza 432 óbitos. Os dados foram fechados às 14 horas com base nas informações das secretarias estaduais de saúde. O país ocupa a 16º lugar em casos da doença, o 14º lugar em óbitos e o 8º lugar em letalidade.

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2020-04-04/todos-terao-contato-com-virus-diz-secretario-executivo-do-ministerio-da-saude.html

Datafolha: Ministério da Saúde vence Jair Bolsonaro em aprovação – Último Segundo – iG

Jair Bolsonaro e Luiz Henrique Mandetta arrow-options Isac Nóbrega/PR Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Pesquisa Datafolha divulgada na tarde desta sexta-feira indica que a aprovação do Ministério da Saúde é hoje o dobro da avaliação do presidente Jair Bolsonaro . Segundo o instituto, a pasta é aprovada por 76% da população, enquanto o presidente recebeu aprovação de 33%. O Datafolha ouviu 1.511 pessoas por telefone entre os dias 1 e 3 de abril.

Na pesquisa anterior, o ministério conduzido por Luiz Henrique Mandetta tinha uma aprovação de 55%. O Datafolha também registrou queda na reprovação da pasta: caiu de 12% para 5%.

Leia também: Governo de SP importa 1,3 milhão de testes de Covid-19 da Coreia

Já a aprovação do presidente Bolsonaro oscilou dentro da margem de erro: de 35% para 33%. A avaliação é estável também entre os que consideram o presidente regular: de 26% para 25%.

Conflito com Mandetta

Bolsonaro vem travando uma disputa interna com o protagonismo de Mandetta à frente do ministério. Nesta quinta-feira, em entrevista a rádio Jovem Pan, o presidente chegou a dizer que falta humildade ao ministro, e que os dois estão “se bicando há tempos”.

Mandetta, por sua vez, tem evitado o confronto. Com alta popularidade, o ministro minimizou os ataques do chefe. Disse que continuava trabalhando e que seu foco era o combate à doença.

Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/2020-04-03/datafolha-aprovacao-do-ministerio-da-saude-e-o-dobro-da-de-bolsonaro.html